Saergs debate Novas Morfologias do Trabalho em Arquitetura

09 outubro 2020

Saergs debate Novas Morfologias do Trabalho em Arquitetura

Com fortalecimento de política neoliberal e o reaquecimento do mercado da construção civil no Brasil, um questão crucial impõe-se aos profissionais: qual papel arquitetos, urbanistas e engenheiros irão ocupar na formação desse pano de fundo da sociedade brasileira. “A dúvida a ser respondida é se vamos nos submeter ao sistema regido pelo capital ou vamos buscar caminhos alternativos e construir relações em um novo mercado com um outro tipo de cliente?”, pondera o presidente do Sindicato dos Arquitetos no Estado do RS, Evandro Babu Medeiros. Na tentativa de ouvir o que pensam os profissionais e de formular algumas hipóteses para o futuro da categoria, o Saergs promove, na próxima terça-feira (13/10), às 19h, a live “Novas Morfologias do Trabalho na Arquitetura e Urbanismo”. O evento virtual integra a programação do Fórum Saergs no Mundo do Trabalho. A transmissão ocorre pelo Youtube e Facebook do sindicato.

Participam do debate a presidente da Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA), Eleonora Mascia, o vice-presidente do Instituto dos Arquitetos (IAB/Departamento Federal), Rafael Passos, e o professor Marco Gonsales, pós-doc pela Unicamp. Mediador do debate, Medeiros recorda que a indústria da construção civil iniciou-se pela mãos dos profissionais sendo, aos poucos, dominada pelo sistema financeiro e pelo capital que, hoje, explora a capacidade técnicas de arquitetos e engenheiros em prol da especulação imobiliária. “Queremos debater a essência que guia nossas carreiras. Será que somos profissionais liberais porque essa é nossa vocação ou porque nos obrigaram a ser?”, questiona.

Adiantando um pouco dos que os seguidores do Saergs verão na próxima semana, Medeiros desafia arquitetos e urbanistas a unirem-se ao sindicato para refletir sobre “um novo jeito de pensar a arquitetura”. O debate ainda deve abordar os impactos da Lei da Terceirização (Lei 3429), da Reforma Trabalhista e da própria pandemia de Covid-19 na lógica do trabalho o Brasil. “Vemos, ao longo dos anos, uma vertiginosa lógica neoliberal se instalando em várias esferas. Pejotização, contratos de trabalho sem assinatura da CLT não são novidades para os arquitetos e urbanistas. Com as reformas trabalhista e previdenciária e a pandemia, nossos direitos ficaram à míngua. É hora de conhecer as arenas, os protagonistas e decidir em que lugar os profissionais querem atuar”, afirma.

Acesse aqui o lembrete da live.

© SAERGS · Por Aldeia