Nacionais, Sem categoria

II Fórum Internacional reúne arquitetos em Brasília

A Embaixada de Portugal em Brasília recebeu arquitetos e urbanistas de várias partes do mundo para discutir como os profissionais da área podem expandir suas fronteiras e oferecer seus serviços em outros países. O II Fórum Internacional de Conselhos, Ordens e Entidades de Arquitetura e Urbanismo do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU Brasil), com o tema: “Mobilidade Profissional Internacional, da formação ao exercício profissional”, reuniu representantes de organizações de arquitetos de países das Américas, da Europa, África e Ásia.

“Vamos produzir conhecimento sobre Arquitetura e Urbanismo neste evento, por meio de palestras, trocas de experiências e negociações, sempre buscando a união entre os países e a construção de resultados”, afirmou a presidente do CAU Brasil, Nadia Somekh. O Conselho, de acordo com ela, já começou a preparar a participação brasileira no 28º Congresso Mundial de Arquitetos, em Copenhagen (COP2023UIA), de forma a estreitar laços com as entidades internacionais. “Estamos pensando na tecnologia, na mobilidade e na sustentabilidade. As casas refletem as possibilidades de viver”.

Na abertura do evento, Nadia ainda destacou a importância da representatividade feminina nas associações de arquitetos e arquitetas, além de destacar as campanhas que estão sendo feitas para tornar os serviços de Arquitetura e Urbanismo, como o programa Mais Arquitetos e a Carta aos Candidatos às Eleições de 2022. “Nossa agenda tem como mensagem principal que o Brasil precisa de mais Arquitetura e Urbanismo”, disse.

RELAÇÕES BRASIL-PORTUGAL
O evento contou também com a participação do presidente da União Internacional de Arquitetos (UIA), o arquiteto mexicano José Luis Cortés, que abordou os desafios atuais da profissão. “Podemos ajudar as cidades a serem mais resilientes e baixar as emissões de carbono. Vocês do Brasil tem uma grande responsabilidade nisso, principalmente por causa da preservação da Amazônia”, disse. Para ele, esses desafios globais também representam uma oportunidade histórica de mobilidade profissional. “Temos que estar unidos para lutar pelos mesmos objetivos.”

Para o embaixador de Portugal no Brasil, Luís Faro Ramos, a excelência da Arquitetura e do Urbanismo é um dos traços que marcam as relações entre os dois países. Prova disso são dois vencedores do Prêmio Priztker: o brasileiro Paulo Mendes da Rocha e o português Álvaro Siza. “Este é um dos setores mais importantes para nossa estratégia internacional, e este evento fala de um item essencial: a mobilidade profissional. Os fluxos migratórios que temos entre Brasil e Portugal vão se beneficiar muito dessa dinâmica”, afirmou o embaixador.

A diplomata Paula Alvez de Souza, representante do Ministério das Relações Exteriores do Brasil (MRE), reforçou a importância da Arquitetura para a projeção da nossa cultura em outros países. “Nossa diplomacia se inspira no Palácio do Itamaraty, uma obra de arte que também funciona como um museu de arte moderna. Há 60 anos o departamento cultural do Itamaraty difunde a Arquitetura Brasileira, participando de exposições aqui e no mundo”.

Representando o Conselho Internacional dos Arquitectos de Língua Portuguesa (CIALP), o arquiteto português Rui Leão disse que a mobilidade é uma das principais pautas da organização. “Neste ano, o trabalho do CIALP aprovou a língua portuguesa como língua oficial da União Internacional de Arquitetos, a UIA. Isso é muito importante porque reforça a nossa agenda de mobilidade internacional”.

NOVOS AVANÇOS
Coordenador da Comissão de Relações Institucionais, o conselheiro do CAU Brasil Jeferson Navolar (PR) ressaltou a importância de dois acordos internacionais que permitem novos avanços na mobilidade internacional de arquitetos e urbanistas brasileiros: o acordo dos países do MERCOSUL, sobre registros profissionais provisórios, e o acordo de mobilidade profissional assinados pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). “Estamos aqui neste evento para ouvir , aprender e avançar no processo de mobilidade internacional, a partir de acordos bilaterais entre as organizações de arquitetos”.

A presidente da Federação Nacional de Arquitetos e Urbanistas (FNA) e coordenadora do Colegiado das Entidades Nacionais de Arquitetos e Urbanistas (CEAU), Eleonora Mascia, lembrou que a Arquitetura e o Urbanismo são pautas urgentes para o mundo todo, e como isso faz parte de um movimento político global.

Fonte e foto: CAU Brasil

The post II Fórum Internacional reúne arquitetos em Brasília appeared first on FNA.