Escritório de jovens profissionais é destaque no Prêmio Arquiteto e Urbanista do Ano

12 dezembro 2018

Escritório de jovens profissionais é destaque no Prêmio Arquiteto e Urbanista do Ano

Arquitetura crítica que questiona práticas possíveis do contexto presente. Dessa forma, os arquitetos e urbanistas Cássio Sauer e Elisa Martins, sócios do escritório gaúcho sauermartins, foram escolhidos para receber a láurea do Prêmio Arquiteto e Urbanista do Ano 2018, na categoria Jovem Arquiteto. Promovido pelo Sindicato dos Arquitetos no Estado do Rio Grande do Sul, a cerimônia de premiação ocorre nessa sexta-feira (14/12), às 19h, no Memorial Luiz Carlos Prestes, em Porto Alegre (RS).

O escritório atua em diferentes escalas e programas propondo uma percepção ampla da importância e do potencial da A rquitetura, destacam os sócios. Os projetos distinguem-se pelo interesse tanto no rigor projetual, como na relação com o lugar. Cássio e Elisa, ambos formados pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 2009 e pela Universidade do Porto de Portugal (FAUP), entre 2007 e 2008, atuam na área profissional e acadêmica simultaneamente. A aproximação entre teoria e prática, segundo Elisa, se dá através da vinculação entre a pesquisa, desenvolvida nos cursos de pós-graduação, e uma atuação profissional, que busca a participação em todas as etapas do processo de projeto com particular interesse no envolvimento do arquiteto durante a construção.

Em sua recente trajetória, o escritório obteve reconhecimento em importantes concursos de Arquitetura, nacionais e internacionais, desenvolvidos pela equipe ou em parceria com outros arquitetos e escritórios. “Os concursos são oportunidades de trabalhar com temas relevantes através de um processo democrático que coloca a Arquitetura como instrumento de discussão e proposição”, destaca Elisa. Nestes projetos complexos e multidisciplinares, existe a possibilidade de estudar e propor edifícios, estruturas, ou espaços urbanos de qualidade.

O projeto ‘Travessias’, vencedor de concurso realizado pela prefeitura de Belo Horizonte, em 2014, em parceria com o escritório Metropolitano Arquitetos, visa recuperar e valorizar áreas degradadas, geradas pelos baixios dos viadutos erguidos na cidade. A proposta cria uma passarela que permite transpor as inúmeras barreiras físicas existentes, de modo a integrar, efetivamente, o tecido urbano. Atualmente, ‘Travessias’ é um dos 17 projetos que fazem parte da mostra Muros de Ar, representação brasileira na 16ª Bienal de Arquitetura de Veneza. Para a arquiteta e urbanista, há pouca visibilidade destes projetos no contexto local, que nos últimos anos têm sido discutidos em contexto nacional e internacional. “Assim, a distinção concedida pelo Saergs é uma oportunidade única de divulgar a produção do jovem escritório, ainda pouco difundida no Rio Grande do Sul”, destaca.

© SAERGS · Por Aldeia