SEARCH
Your address will show here 12 34 56 78

Em tempos de pandemia e restrições de encontros presenciais, a realização de eventos virtuais ajudou a conter os gastos dos sindicatos e da Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA). Em reunião na manhã deste sábado (27/11), a assessoria contábil da FNA apresentou dados referentes à situação financeira da entidade no período de janeiro e outubro de 2021. Segundo Valtuir Silveira e Jennyfer Silveira, da Consultoria VSS, a relação entre despesas e receitas está controlada garantindo, inclusive, reserva para manutenção das atividades operacionais e políticas ao longo dos próximos anos. A mesa foi coordenada pela presidente Eleonora Mascia e pela secretária de Finanças da FNA, Juliana Betemps.

Entre as metas da atual diretoria, citou Eleonora Mascia, está a regularização dos imóveis em nome da FNA e a criação de uma estrutura operacional viável aos sindicatos. “Queremos finalizar esta administração com gestões enxutas dos sindicatos e da FNA para que possamos trabalhar com contas em dia e uma estrutura de gestão sustentável”, frisou. Segundo ela, a agenda na pandemia permitiu uma certa economia, mas a intenção é retomar, assim que possível, alguns encontros presenciais entre os sindicatos.

Durante a manhã deste sábado, os sindicalistas ainda contaram com a saudação do deputado federal pela Bahia Joseildo Ramos. O parlamentar colou-se à disposição do movimento sindical. “A pauta deste encontro diz muito sobre a necessidade de aproximar mandatos que estejam dispostos apara abrir espaços para que esses debates passem pelo parlamento”. Atuante no tema da autogestão e das técnicas hostis de construção, Ramos defendeu a luta para que as cidades brasileiras sejam mais acolhedoras e democráticas.

The post Transmissões online mantiveram ação dos sindicatos com menos gastos appeared first on FNA.

0

Debatendo o mundo do trabalho em tempos de precarização, o 45º Encontro Nacional de Sindicatos de Arquitetos (ENSA) reuniu dois importantes sindicatos de profissionais para tratar das experiências locais de combate à informalidade e na defesa dos direitos dos trabalhadores. O encontro, realizado na tarde desta quinta-feira (25/11), contou com o Sindicato dos Arquitetos no Estado de São Paulo (SASP) e o Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas no Estado de Santa Catarina (SASC). A mediação ficou por conta do vice-presidente da FNA, Ormy Hütner Jr.

O presidente do SASP, Marco Antônio Teixeira da Silva, abriu a mesa falando sobre as pautas trabalhistas em São Paulo, estado com maior número de arquitetos do Brasil. Relatou a luta travada em disputas específicas, como a ação junto a órgãos públicos, inclusive na cobrança pela nomeação de aprovados em concursos. O dirigente destacou as dificuldades nas negociações salariais e acordos coletivos em curso. O SASP também participa de diversos conselhos municipais, com destaque para o CMDU de Guarulhos onde foi recém criado o GT sobre Mudanças Climáticas visando à criação de um Plano de Adaptação e Resiliência. O sindicato também detalhou a atuação no Litoral Norte onde participa do Comitê das Bacias Hidrográficas, na coordenação da Câmara Técnica do Saneamento e no Gerenciamento Costeiro. Além da apresentação das atividades desenvolvidas, o SASP traçou perspectiva de ação para 2022, quando retomará as atividades presenciais na sede administrativa. Entre as metas também está um convênio com entidades do mundo sindical, sociais e de arquitetura e urbanismo para uma atuação conjunta na defesa dos interesses dos trabalhadores da categoria.

A luta pela preservação dos direitos dos profissionais também dá o tom do trabalho no Sindicato dos Arquitetos de Santa Catarina (SASC). Segundo a presidente, Daniela Lopes, é um momento que marca a história para quem faz parte do sindicato e todos profissionais. “Estamos em busca de entendimento e experiências. Lutamos pelos nossos direitos e queremos que sejam cumpridos”.

Com a crise econômica agravada em tempos de pandemia, os sindicatos alertam para uma maior facilidade em burlar os direitos dos trabalhadores. Segundo dados apresentados, mais da metade da força de trabalho hoje não está empregada formalmente. E quem encontra emprego está além do contrato de trabalho clássico.

Por fim, Hütner Jr realizou um compilado da mesa e elogiou a atuação do SASP, que trabalhou inclusive fora da capital lutando pelos espaços que são oferecidos no campo de atuação profissional.

Durante a mesa, os consultores da VSS Contabilidade, Valtuir Silveira e Jennyfer Silveira também apresentaram os avanços obtidos na regularização das contas dos sindicatos por meio do Programa de Apoio.

The post Ataque aos direitos do trabalhador no horizonte do SASP e SASC appeared first on FNA.

0