Locais

Arquitetura perde Demetre Anastassakis

O Brasil perdeu, neste sábado (27/7), um dos grandes nomes da luta pela Arquitetura e Urbanismo. Demetre Anastassakis, profissional formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, faleceu vítima de uma parada cardíaca decorrente de uma isquemia no aparelho digestivo. Presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil/ Direção Nacional (IAB/DN) entre 2004 e 2006 e do IAB/RJ entre 1994 e 1995, destacou-se pela luta por projetos de Assistência Técnica em Habitação de Interesse Social (Athis) em diversos estados brasileiros. Sua contribuição inestimável à sociedade brasileira lhe rendeu, em 2006, destaque na 1ª edição do Prêmio Arquiteto e Urbanista do Ano, concedido pela Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA). Anastassakis recebeu o mérito na categoria Setor Privado. A FNA lamenta o ocorrido e se solidariza com a família e amigos do profissional que foi companheiro de luta por uma sociedade mais inclusiva e por uma arquitetura para todos. Na noite deste sábado, o falecimento gerou comoção entre colegas. O presidente da FNA, Cicero Alvarez, citou sua proximidade com as entidades representativas dos Arquitetos e Urbanistas, entre elas a FNA, tendo, inclusive, participado do Encontro Nacional de Sindicatos de Arquitetos e Urbanistas (ENSA) realizado em Goiás, em 2013. “Era uma pessoa de atitude e que deixou sua marca na luta pela habitação de interesse social no país”, pontuou. A vice-presidente da FNA, Eleonora Mascia, lembrou da atuação de Demetre Anastassakis nas primeiras Conferências das Cidades. “Era um grande arquiteto e urbanista, uma grande figura humana, militante e amigo querido. Vai fazer grande falta nestes tempos sombrios”. O presidente do IAB/DN, Nivaldo Andrade, divulgou nota lembrando com carinho do amigo e de sua atuação política pela profissão. “As opiniões fortes, a sagacidade, a generosidade e o otimismo de Demetre farão muita falta ao IAB, à arquitetura brasileira e a bandeiras como o Direito à Cidade e à Moradia Digna”. Nascido em Atenas, na Grécia, Demetre Anastassakis veio para o Brasil com apenas oito anos de idade. Entre os grandes feitos de sua carreira está ter participado do mutirão para a construção do Conjunto Habitacional São Francisco Setor VIII, em São Paulo (1992). “Conheci Demetre como membro da equipe da Cooperativa de Arquitetos do Rio de Janeiro, quando eles ganharam o concurso de projetos de habitação social que promovemos no governo Erundina em 1990. Esse projeto inovador foi construído em mutirão e autogestão no Jardim São Francisco. Foi o começo de uma forte interlocução de trabalho e reflexão sobre a habitação em diferentes momentos e lugares do Brasil, nesses trinta anos. Uma grande perda para todos nós e para a arquitetura social brasileira. Estamos de luto”, publicou o também arquiteto e urbanista Nabil Bonduki. Anastassakis também atuou na reurbanização da favela da Maré, em 1993 no Rio de Janeiro (RJ), no projeto habitacional Novos Alagados, em Salvador (BA) em 2003, e no projeto de adaptação de imóveis históricos arruinados em Habitação de Interesse Social pelo PAR, no Centro Histórico de Salvador. Demetre Anastassakis deixa cinco filhos e a companheira, arquiteta e urbanista Cláudia Pires.”O período de maior aprendizado da minha vida foi ao lado do Demetre. Ele me ensinou tudo o que sei de Arquitetura. A gente era companheiro, amigo, confidente, parceiro. Perdi o grande amor da minha vida”, disse. O velório ocorrerá na sede do IAB/RJ (Beco do Pinheiro, 10 – Flamengo) no dia 1º de agosto. O horário ainda não foi definido. Fonte: Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA)

Foto: Ana Arruda

Foto: Ana Arruda