Locais

FNA emite moção contra ataque aos direitos dos cidadãos brasileiros

DSC04454-300x225Durante Reunião Ampliada em João Pessoa (PB) no último final de semana, a Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA) elaborou moção contra os projetos de reforma em curso no Brasil. A proposta foi apresentada no domingo (9/4) pelos três ex-presidentes da federação Clóvis Ilgenfritz, Ângelo Arruda e Jeferson Salazar e foi aprovada por unanimidade em plenário. O documento será remetido ao Planalto, a deputados federais, senadores, integrantes do executivo e entidades de classe ligadas à arquitetura e urbanismo. “Os arquitetos e urbanistas brasileiros, assalariados e não assalariados, não estão isentos e imunes às crises e às propostas das reformas em curso. Tememos pelo desemprego da categoria e pela perda e/ou diminuição do mercado de trabalho”, diz a nota que foi lida em plenário por Arruda. >>> Cliquei aqui para ler a moção em PDF Segundo o atual presidente da FNA, Cicero Alvarez, é preciso que os trabalhadores se unam para evitar um extermínio dos direitos sociais. “As propostas do governo do PMDB representam 80 anos de lutas colocados no lixo. É um retrocesso que nunca se imaginava ver”, salientou. Além da preocupação com a perda dos direitos trabalhistas e com a lei da terceirização, o movimento critica as alterações propostas na Previdência e o ataque direto ao movimento sindical. “Essas ações visam minar a defesa dos trabalhadores pelos sindicatos que, ao fim, é quem representa e dá voz às minorias. Depois de anos de avanços em distribuição de renda e cidadania, estamos retomando uma política segregadora que trabalha apenas para o empresariado”, pontuou Cicero. Vice-presidente da FNA, Eleonora Mascia ressalta a importância da união dos trabalhadores brasileiros para evitar o ataque aos direitos trabalhistas e à linha de defesa destes, que é o movimento sindical. “É urgente a mobilização de todos para não permitir que o governo Temer destrua o que levamos décadas para construir”, alerta. Mobilizados contra as mudanças nefastas nos direitos trabalhistas, o documento da FNA também convoca a categoria para a grande greve geral que deverá ocorrer no dia 28 de abril em todos o país. “Vamos parar o Brasil”, clamou o ex –presidente da FNA e conselheiro Jeferson Salazar. Abaixo, confira o texto da Moção na íntegra: Moção contra o ataque aos direitos trabalhistas Os arquitetos e urbanistas reunidos em João Pessoa em Reunião Ampliada de sindicatos de Arquitetura e Urbanismo do país, examinando a crise econômica e política por que passa o Brasil com reflexos diretos sobre a categoria, manifestam sua preocupação e total contrariedade com relação às Reformas Trabalhista, Previdenciária, Sindical e às questões do desemprego, perdas salariais, regularização fundiária e, sobretudo, sobre a cidadania brasileira. A sociedade brasileira precisa ficar atenta aos prejuízos que ela vai ter se forem aprovadas as propostas em tramitação no Congresso Nacional e alerta para a necessidade de mobilização nacional, participando no dia 28 de abril de greve geral do povo brasileiro. Os arquitetos e urbanistas brasileiros, assalariados e não-assalariados, não estão isentos e imunes às crises e às propostas das reformas em curso e tememos pelo desemprego da categoria e pela perda e/ ou diminuição do mercado de trabalho. Fonte: Imprensa FNA Foto: Carolina Jardine